Atendimento ao cliente

Seu cliente merece mais: entenda o SAC 2.0

“O cliente sempre tem razão!” Tenho certeza que você já ouviu essa frase inúmeras vezes.  Mas, e quando ele é abusivo ou exige algo que não foi prometido pela empresa? Sendo assim, é preciso considerar que nem sempre ele tem razão, não é mesmo?

Foto do site freepik

No entanto, independente do cliente estar certo, ou não, o fato é que ele precisa ter a melhor experiência possível com a sua empresa e, para isso, é necessário saber conduzir bem a situação, qualquer que seja.

Além disso, você já deixou de comprar em uma loja porque não foi bem atendido? Eu já! 

Veja bem, o cliente é a principal razão de existência de um negócio e, portanto, precisa ser respeitado e valorizado.

Quer entender um pouco mais sobre a relação entre empresa-cliente e o que o SAC 2.0 tem a ver com tudo isso? Agora é a hora! Boa leitura.

O cliente

A palavra cliente vem do latim cliens, clientis, e diz respeito a uma pessoa que utiliza ou adquire um produto ou serviço de uma empresa, frequentemente ou ocasionalmente.

Logo, se pensarmos bem, o cliente é, de fato, a principal razão de existência de uma empresa, pois é para ele que um produto ou serviço é disponibilizado e é a adesão dele que vai fazer com que o seu negócio prospere.

Desta forma, todas as ações de uma empresa devem buscar satisfazer o cliente. Isso vai desde a limpeza e arrumação do local até o planejamento de vendas, estratégias de marketing, dentre outras.

Em outras palavras, o cliente precisa ser um aliado e o relacionamento com ele é parte fundamental nesse processo. Por algum motivo ele entrou em seu estabelecimento, acessou sua página na internet ou solicitou o seu serviço, ou seja, por algum motivo ele te escolheu e você não pode perder a oportunidade de estreitar os laços com ele.

Investindo no relacionamento e na valorização do cliente

Atualmente, é inadmissível perder um cliente por falta de atenção ou tratamento inadequado. Por isso, aprender sobre o relacionamento com o cliente e investir em treinamento para que tenha funcionários qualificados e atentos, é de suma importância. 

Além disso, quem atende o cliente precisa saber tudo sobre o produto ou serviço para disponibilizar informações corretas.

Por último, de que adianta investir em propaganda e não tratar bem o seu cliente? Ele é a sua melhor propaganda!

O que fazer com reclamações?

Quando um cliente reclama, ele precisa ser ouvido. Alguma coisa o deixou insatisfeito e você precisa saber o que foi. Por isso, uma escuta atenta e acolhedora faz toda a diferença na hora de atender esse cliente, de modo que ele se sinta valorizado e saiba que o seu problema será solucionado da melhor forma possível.

Foto do site freepik

O que é SAC 2.0

O SAC 2.0 não é um termo novo e muitas empresas já estão investindo em boas estratégias, tanto para atender bem os seus clientes quanto para atrair outros. Pode-se afirmar, então, que é a maneira mais efetiva de comunicação entre empresa e cliente, na atualidade.

Mas, o que é SAC 2.0? É o atendimento ao cliente utilizando os canais digitais, incluindo as redes sociais.

Em outras palavras, você disponibiliza ao cliente vários locais para entrar em contato com a sua empresa, seja para solicitar um orçamento, tirar dúvidas, fazer algum comentário ou mesmo para alguma reclamação. 

Os canais de atendimento ao cliente mais utilizados no SAC 2.0 são chats e chatbots, e-mails, redes sociais e canais de autoatendimento.

Além disso, é possível criar uma página de suporte no seu site e facilitar ainda mais a vida do seu cliente, disponibilizando perguntas e respostas mais frequentes.

Monitoramento

Uma outra estratégia que faz parte do SAC 2.0 consiste em monitorar as reações de clientes e reagir a elas o quanto antes. Para isso, existem várias opções de softwares de suporte, sistemas de gerenciamento de redes sociais, ferramentas de monitoramento social e ferramentas de comunicação interna e gestão de projetos.

Planejando para atender bem o seu cliente

Para que o SAC 2.0 seja eficaz na sua empresa, algumas ações são necessárias.

Em primeiro lugar, saiba onde o seu público está, descobrindo seus canais favoritos e montando uma estratégia com base nessa informação.

Além disso, escolha bem quem vai cuidar do SAC e interagir com o cliente, disponibilizando uma equipe especializada, disposta e carismática e que esteja em sintonia com o pessoal de vendas e marketing da empresa.

Com base na identidade da sua empresa, defina o tom e a voz para todos os canais de atendimento, para que estejam de acordo com a imagem e a mensagem que deseja transmitir. Daí a importância de conhecer o seu público para utilizar a linguagem mais adequada. Ter uma boa estratégia de CRM também é essencial para o sucesso na relação com o cliente.

Planejar para resolver possíveis problemas

Se antecipar aos problemas e saber o que fazer quando algo der errado também faz parte do planejamento. Portanto, faça uma lista com diversas situações que poderiam colocar em risco a reputação da sua empresa, como o envio de uma mensagem indevida, uma demora para responder por causa de alguma situação inesperada e até mesmo algum problema grave que afete muitos clientes. Ao mesmo tempo, deixe claro o que deve ser feito caso ocorra qualquer um dos incidentes listados.

Foto do site freepik

Por fim, a sua empresa precisa estar preparada para interagir com o cliente, não de modo robotizado, mas de maneira real e humanizada, nos canais que eles estão habituados a utilizar.

Benefícios

Vimos, até agora, que o SAC 2.0 é uma maneira de promover um bom relacionamento com o cliente utilizando recursos digitais. Não é de se espantar, portanto, que ele seja capaz de trazer importantes benefícios para o seu negócio. De acordo com a Rock Content, pelo menos 5 podem ser observados. São eles:

  1. Oportunidade de resolver problemas assim que acontecem, evitando complicações;
  2. Poderoso recurso de marketing, pois qualquer impressão do cliente, em relação à empresa, vai influenciar na escolha de um produto ou serviço;
  3. Fortalece o posicionamento de marca, ao mostrar cuidado e preocupação com o cliente, buscando manter um alto padrão de qualidade;
  4. Forma direta de encantar os clientes e mantê-lo fiel à marca, desde que tenha recebido tratamento vip na hora de solucionar algum problema;
  5. Impressão duradoura em quem segue a marca e, mesmo que não seja seu cliente, vai indicá-la para quem precisa.

Além disso, com o SAC 2.0 a sua empresa economiza tempo e dinheiro, mensura e analisa indicadores com mais facilidade, organiza dados e oferece atendimento mais preciso. Isso promove a satisfação do cliente e favorece a sua aproximação com ele.

Conclusão

O SAC 2.0 tem o potencial de aproximar empresa e cliente. No entanto, para que isso aconteça, não pode faltar cordialidade, empatia, resolução de problemas e boa comunicação.

E então, levando em consideração a importância do cliente para a sua empresa, acha que vale a pena investir no SAC 2.0? Pode contar com a Vision Root para te ajudar nesse processo. Entre em contato e dê um passo a mais para alavancar o seu negócio!

Por fim, duas dicas de leitura para te ajudar ainda mais no relacionamento com o cliente:

Jornada do cliente: criando uma estratégia de vendas de sucesso

CRM: como o relacionamento com o cliente pode melhorar as suas finanças

Jornada do cliente

Jornada do cliente: criando uma estratégia de vendas de sucesso

A jornada do cliente pode ser uma ferramenta que ajuda a entender melhor a experiência do consumidor no processo de compra. Com ela é possível entender suas dúvidas, dores e necessidades.

Dessa forma, para ajudar a sua empresa a criar estratégias de vendas de sucesso, este artigo aborda a jornada do cliente, sua importância e vantagens, mostrando as etapas do ponto de vista do consumidor, bem como o modo que a sua empresa pode estruturar suas ações para gerar bons resultados.

Ficou interessado, não é mesmo? Então continue a leitura!

O que é a jornada do cliente?

A jornada do cliente diz respeito à experiência que um cliente tem com a sua marca, desde o primeiro contato até a compra (ou não) do seu produto ou serviço, incluindo também o pós-venda. Trata-se, portanto, da história do cliente com a sua empresa.

Vale ressaltar, ainda, que esse primeiro contato pode ser por meio de uma visita, um atendimento, material impresso ou conteúdo online.

Importância

Conhecer a jornada do cliente é importante porque, atualmente, o consumidor está em busca de uma experiência que vai além da solução oferecida e você pode proporcionar isso a ele. Portanto, é necessário considerar que as características de um produto ou serviço nem sempre são suficientes para determinar a compra.

Além disso, o consumidor pode não entender, tão claramente, como o que você vende pode resolver o problema dele. Logo, se você intervir no momento certo, e isso é possível conhecendo sua jornada, será capaz de mostrar isso a ele.

Aproveitando as oportunidades

Em outras palavras, ao conhecer a jornada do cliente, você aproveita todas as oportunidades para entregar ao consumidor o conhecimento necessário para que ele seja capaz de perceber que o seu produto (ou serviço) é, de fato, o que ele precisa.

Dessa forma, quando a sua empresa assume uma postura educativa e compartilha conteúdos valiosos com seus clientes atuais e futuros, conduzindo-os pelo processo de compra, ela contribui para a autoridade da marca e estreita o relacionamento com eles. 

5 Vantagens de conhecer a jornada do cliente

Veja, agora, quais a vantagens de conhecer a jornada do cliente:

1. Ajuda a entender o comportamento dos clientes

2. Permite Identificar pontos de melhoria

3. Reduz custos

4. Aumenta as vendas

5. Auxilia na fidelização de clientes

Etapas da jornada do cliente

A jornada do cliente compreende algumas etapas, que devem ser analisadas a partir do ponto de vista do consumidor. São elas:

Aprendizado e descoberta

Nesta primeira etapa, o consumidor ainda não compreende muito bem o seu problema e a sua empresa deve ajudá-lo a descobrir, publicando conteúdos mais amplos e didáticos a respeito do assunto. A divulgação desse material pode ser por meio de blogposts, vídeos, infográficos e/ou publicações em redes sociais. Com boas técnicas de SEO, a sua empresa pode aparecer no topo do Google, por exemplo, e garantir que seja vista pelo consumidor nessa etapa de busca.

Foto do site pexels.com

Consideração da solução

O consumidor (e potencial cliente), que se encontra nessa etapa, já está ciente do problema e passa a buscar aprofundamentos e soluções. Agora é a hora da sua empresa apresentar a ele conteúdos mais técnicos e mais completos, aprofundando no assunto.

Decisão de compra

Diante das várias soluções disponíveis, esse é o momento em que os seus potenciais clientes se colocam a analisá-las e considerá-las. Portanto, você deve apresentar, com detalhes, o seu produto ou serviço, deixando bem claro que ele é a melhor solução para esse consumidor. Os depoimentos de clientes que já tiveram uma experiência com a sua marca e ficaram satisfeitos são de grande valia agora!

Fidelização

O consumidor, por fim, fez a escolha pela sua marca. Parabéns! Isso significa que todo o seu empenho em acompanhar a sua jornada valeu a pena. Entretanto, para manter um cliente fiel e torná-lo promotor da sua marca, é essencial manter um relacionamento forte com ele. Tendo isso em vista, continue compartilhando as novidades da sua empresa, disponibilizando conteúdos importantes e dando todo o suporte necessário, seja pelo blog, por email ou rede social.

Como estruturar a jornada do cliente

De acordo com o blog do Agendor, é importante estruturar a jornada do cliente para conseguir uma comunicação mais efetiva com ele e construir uma experiência padronizada para o seu público-alvo (campanhas de marketing, pré-vendas, vendas, pós-vendas e atendimento ao cliente). Como fazer isso? Você vai ver agora!

Definição de objetivos

Estabeleça um objetivo de acordo com as ações necessárias nas etapas da jornada do cliente. O que precisa ser estruturado? O aprimoramento do processo comercial e das vendas? A construção de novas estratégias de atendimento ao cliente? Cada etapa da jornada demanda ações específicas e, por isso, o objetivo precisa ser bem definido.

Pesquisas e coletas de dados

Busque informações sobre a sua persona! Em outras palavras, colete o máximo de dados que puder, faça entrevistas e análises para construir o seu comprador ideal. Assim você poderá entender melhor o seu comportamento e a sua jornada de compra.

Mapeamento de pontos de contato com o cliente e dos canais utilizados

Significa saber por onde o seu cliente te conhece e como ele pode entrar em contato com a sua empresa. Pode ser site e redes sociais, bem como telefone e lojas físicas. O importante é conhecê-los e destacá-los.

Identificação de ações, necessidades e obstáculos do seu cliente

Conheça quais são os questionamentos, a motivação por buscar o seu produto e qual a necessidade do seu cliente. Além disso, descubra também como ele chegou até a sua empresa, se foi por indicação de amigos ou pesquisa na internet. Portanto, todas as informações precisam ser mapeadas e um fluxograma pode ajudar nesse momento.

Brainstormings

Uma vez que você já conhece o seu cliente, é a vez de pensar em soluções para resolver o seu problema. Promova um brainstorming, junto com a sua equipe, e encontrem caminhos criativos e direcionados para melhorar a jornada do cliente.

Rascunho da jornada do cliente

Faça um rascunho da jornada do cliente para que você consiga mapeá-lo melhor. Além disso, esse rascunho pode ser refinado com as análises dos resultados e estudo de mercado, auxiliando cada vez mais as suas estratégias.

Foto do site pexels.com

Conclusão

Vimos, neste artigo, o que é a jornada do cliente, sua importância, vantagens, etapas e como a sua empresa pode estruturá-la para auxiliar nas estratégias de marketing e vendas, deixando-a preparada para atender os consumidores em diferentes fases.

Dessa forma, podemos concluir que, ao conhecer a jornada do cliente e ajudá-lo no processo, a sua marca ganha mais engajamento, aumento das vendas e adquire mais autoridade de marca.Este artigo foi útil para você? Te convido a ler também o nosso artigo sobre CRM e entenda como o relacionamento com seus clientes pode melhorar as suas finanças!

Site

Site seguro – saiba como manter a sua empresa com credibilidade

Ter um site seguro é muito mais do que cumprir uma exigência. Mostra consideração e transmite confiança para os seus usuários, favorecendo um relacionamento saudável e duradouro entre cliente e empresa. Isso fortalece sua autoridade e mantém sua credibilidade.

Foto do site pexels.com

Além disso, a transformação digital trouxe novas possibilidades para o seu negócio, colocando-o, de vez, no incrível mundo da internet – um ambiente promissor e arriscado.

Portanto, é preciso ter cuidado e estar atento à segurança.

Neste artigo você terá a oportunidade de saber ainda mais sobre a segurança digital, sua importância e o que fazer para manter seu site seguro. 

Importância de ter um site

Antes de tratar especificamente sobre segurança, gostaria de apresentar a importância de ter um site nos tempos atuais. Veja seus benefícios:

  • Facilidade para o cliente encontrar a sua empresa
  • Menor custo na hora de encontrar possíveis clientes
  • Aumento das vendas em grande escala
  • Integração com redes sociais
  • Mensuração de dados e resultados

Muito bom, não é mesmo? Portanto, se a sua empresa ainda não tem um site, não perca mais tempo e providencie!

No entanto, o propósito deste artigo não é aprofundar nos benefícios de um site. Sim, você precisa ter um site, mas isso não é o bastante. Seu site precisa existir e precisa ser seguro.

A sua empresa já tem um site? Tem certeza que ele é seguro? Confira agora!

Segurança digital

Acessar um site seguro é uma preocupação do público em geral, tendo em vista que a segurança digital é um assunto mais do que relevante na atualidade. Assim, essa é uma preocupação não só das empresas, mas de toda a população. 

Portanto, independente do segmento, manter o site seguro deve ser prioridade na empresa e fazer parte da rotina.

Golpes de phishing

O Brasil é o campeão mundial em golpes de phishing e, por isso, ter um site seguro deve ser uma preocupação de primeira ordem, pois todo cuidado é pouco para não ser a próxima vítima ou colocar os seus clientes em risco.

Foto do site canaltech

De acordo com informações do Canaltech, o phishing cresceu em todas as suas modalidades no Brasil, em 2021. Trata-se de um golpe aplicado por cibercriminosos para enganar você e o seu cliente. Ele rouba suas informações pessoais, como senhas ou cartões de crédito, RG, CPF e número de contas bancárias. Geralmente, enviam e-mails e links falsos para login.

Mas, o que é um site seguro?

Um site é considerado seguro quando oferece conexões e acesso protegidos contra golpes e fraudes, causados por programas maliciosos (malware). Afinal, eles se infiltram no servidor dos sites e acessam o banco de dados dos clientes. Depois, agem de má fé e aplicam os mais diversos golpes. 

Portanto, um site seguro apresenta, além de um e-commerce ou loja virtual bem estruturados, com boas opções de entrega e pagamentos, todas as ações necessárias para que não haja nenhum problema de segurança, tanto para os clientes quanto para a própria empresa. 

Desenvolvimento de site seguro

A segurança de um site se inicia no seu planejamento. Cabe a um profissional especialista a verificação de segurança, analisando se o site possui portas abertas no servidor ou se alguma informação é sensível.

Além disso, sempre que um site é finalizado, realiza-se testes para que não haja nenhuma brecha de segurança.

Importância de ter um site seguro

Ter um site seguro é importante para proteção de dados e também para que ele alcance visibilidade da internet e apareça nas primeiras posições do Google.

Foto do site pexels.com

Dessa forma, se o seu site não possui certificado de segurança, o buscador vai mostrar isso para o usuário. A consequência? Perda de tráfego e confiança abalada. Você não quer isso, não é mesmo? 

Em outras palavras, a segurança do seu site possui forte impacto na maneira que as ferramentas de buscas enxergarão as suas páginas. 

Confiabilidade

Além disso, um site seguro vai ajudar o seu negócio a garantir a confiabilidade de que necessita para fidelizar seus clientes e manter-se competitivo no mercado.

Portanto, a experiência do usuário é muito importante, pois as pessoas querem ter certeza de que estão navegando em páginas seguras, principalmente ao fornecer dados pessoais.Oferecer um site seguro é essencial, principalmente para lojas virtuais e e-commerces ou qualquer outro site que capte dados dos usuários. 

Site seguro para não correr risco de ser hackeado

Se o seu site não apresenta os requisitos de segurança necessários, ele fica mais vulnerável a ataques de hackers, ou seja, pode ser roubado. Se isso acontecer você provavelmente perderá todo o seu ranqueamento e deixará de ser indexado pelo Google, impactando negativamente nas suas estratégias de SEO.

Pense bem: você cuidou de todo o trabalho de otimização, com criação de conteúdo, geração de backlinks, identidade visual, dentre outras coisas e, por não cuidar da segurança, colocou tudo a perder. Quanto prejuízo!

Definitivamente, não dá para descuidar de algo tão essencial. Nesse sentido, qualquer negócio deve mostrar credibilidade e confiança com um site seguro e, assim, evitar qualquer tipo de invasão cibernética.

O que fazer para manter seu site seguro

São procedimentos simples, capazes de garantir um site seguro, tanto para quem o administra quanto para quem o acessa. Veja as dicas para um site seguro, de acordo com a Hosts Green:

Mantenha os softwares atualizados

É um procedimento simples, mas muitas vezes adiado, por achar perda de tempo diante de tantas outras tarefas a serem executadas. Mas, não tirar um tempo para isso, pode significar perder muito tempo depois!

Utilize senhas seguras

A senha precisa ser alterada depois de algum tempo e deve conter uma mistura de letras, números e caracteres especiais. Além disso, use senhas diferentes para diferentes sistemas.

Foto do site olhardigital.com.br

Faça backups

Os backups devem ser feitos com regularidade e integrados à rotina de segurança digital da empresa. Se ainda assim seu site sofrer alguma violação de segurança, você não precisará criar outro do zero.

Escolha uma boa hospedagem

Certifique-se de que a empresa que você pretende contratar para o serviço de hospedagem é idônea e oferece suporte online em português. Não deixe de avaliar cada um dos benefícios prometidos.

Utilize um bom firewall

O firewall atua de modo ativo, bloqueando acessos não autorizados. Ele é uma ferramenta de segurança essencial para proteger o seu site de possíveis ataques de hackers. 

Conte com um detector de malware

O detector de malware é mais uma ferramenta essencial para manter o seu site seguro, pois eles são cada vez mais comuns e diversificados, podendo utilizar os sites para infectar os dispositivos dos visitantes.

Fique atento às permissões de usuários

Tenha a lista completa e atualizada de quem tem acesso ao seu site e certifique-se de que essas permissões são realmente necessárias.

Tenha um certificado SSL

O SSL significa um nível extra de proteção a partir da criptografia de dados compartilhados. Ele é fundamental principalmente em sites de e-commerce, em que há um fluxo maior de dados.

Procure por vulnerabilidades

Os hackers estão sempre à procura de brechas de segurança e você pode se antecipar a eles, procurando por vulnerabilidades e resolvendo o problema antes que cibercriminosos a encontrem. E atenção: quando as configurações não são realizadas corretamente, os dados da empresa podem ficar expostos. Isso significa ter brechas ou portas abertas para uma invasão do site e, com isso, perder o acesso. Não corra esse risco!

Monitore o seu site

Ao monitorar o seu site, os danos potenciais são identificados com agilidade, sendo possível saná-los rapidamente.

Conclusão

Para uma empresa ter bons resultados digitais, é necessário investir em segurança, pois sites seguros melhoram a imagem da empresa e evitam problemas de navegação no portal.

Por fim, tenho uma excelente notícia: se ainda não tem um site ou, precisa de ajuda para mantê-lo seguro, saiba que a Vision Root pode fazer isso por você! Entre em contato e agende uma visita. Temos a solução certa para o seu negócio!

CRM

CRM: como o relacionamento com o cliente pode melhorar as suas finanças

CRM é a sigla para Customer Relationship Management, que em português é o mesmo que Gestão de Relacionamento com o Cliente. 

No entanto, mesmo sabendo que o relacionamento com o cliente é muito importante, principalmente em tempos de transformação digital, talvez você ainda não consiga desfrutar de todos os seus benefícios.

É provável, inclusive, que você já esteja descrente com as estratégias de relacionamento com o cliente que a sua empresa está desenvolvendo, pois não consegue mais avançar nas vendas…

Que tal um mergulho neste assunto para entender melhor todo o processo e desfrutar das suas vantagens? Vamos lá!

Entendendo melhor o que é o CRM

A Gestão de Relacionamento com o Cliente, ou simplesmente, CRM, se refere a um conjunto de práticas, estratégias de negócio e tecnologias focadas na relação com o cliente. De modo geral, pode-se afirmar que ele foi criado para definir toda uma classe de sistemas de informações ou ferramentas que automatizam as funções de contato com o cliente.

No entanto, o CRM vai muito além de uma plataforma ou um software. 

Em outras palavras, ele diz respeito a um conjunto de processos para analisar as interações com clientes e conseguir aumentar as vendas. Isso porque, com o CRM é possível antecipar necessidades e desejos e personalizar campanhas de captação de novos clientes. 

Evolução ao longo do tempo

No entanto, não é de hoje que se busca o auxílio de ferramentas para gerenciar o relacionamento com o cliente. A primeira ferramenta de coleta e análise estatística de dados de consumidores surgiu em 1986.

Ao longo do tempo, porém, o recurso foi evoluindo a ponto de se tornar uma solução robusta e autônoma, permitindo a realização da coleta e da análise de dados dos clientes, desde informações de contato até as interações com a marca.

Além disso, ele é essencial para estruturar o funil de vendas e personalizar as interações com os consumidores.

A era do cliente

O relacionamento com o cliente evoluiu. Afinal, estamos na era do cliente, da transformação digital, das novas tecnologias. A estratégia, agora, é focar no cliente para que a empresa possa crescer, evoluir e se fortalecer.

O que uma boa ferramenta para CRM precisa ter

Uma ferramenta boa e que seja capaz de auxiliar na gestão do CRM, precisa atender a certos requisitos, como: integração com outras ferramentas; personalização; armazenamento de dados; agilidade nas vendas; geração de relatórios completos; facilidade de acesso, dentre outros.

Qual a melhor ferramenta?

As maiores ferramentas de CRM do mercado são: Pipedrive, Hubspot, Salesforce e RD Station. Vale a pena conhecer cada uma delas para ver qual a que melhor atende, em termos de funcionalidade e preço.

Foto do site pixabay.com

Além disso, você também pode desenvolver um software exclusivo para a sua empresa. Não é uma tarefa fácil, mas, caso seja possível para a realidade de sua empresa, é algo que pode vir a ser considerado.

Quais os benefícios do CRM?

O CRM bem implantado e gerenciado traz uma série de benefícios para a empresa, tais como:

  • Armazenamento de informações de clientes e potenciais clientes;
  • Integração de dados relacionados a informações pessoais, histórico e preferência de compras;
  • Possibilidade de acompanhar a jornada do cliente por todo o funil, ao integrar processos de marketing e vendas;
  • Potencialização do atendimento ao cliente em todos os pontos;
  • Otimização do contato com os clientes, identificando oportunidades de vendas; 
  • Organização de todo o processo de vendas;
  •  Melhoria na experiência dos clientes junto à marca;
  • Redução de custos e o aumento da lucratividade.

Além disso, um bom software para CRM, é capaz de agilizar o envio de emails, propostas e contratos, dando visibilidade para o time responsável e potencializando o crescimento das vendas. A propósito, ele deixa as informações acessíveis e de modo intuitivo, para acelerar conexões e simplificar processos. 

Juntamente com essas funcionalidades, ele também simplifica e agiliza tarefas repetitivas e fornece relatórios completos sobre o processo de vendas, insights e recomendações de ação.

Em outras palavras, com apenas um sistema centralizado e online, seu time de vendas pode contar com todos os recursos para produzir mais e gerar valor para os potenciais clientes.

Como implantar o CRM

Para implantar o CRM em uma empresa não basta apenas escolher um software. De fato, o software vai permitir colocar uma estratégia de CRM em prática, mas é necessário o planejamento das ações e o gerenciamento dos processos. Sem isso, os resultados não serão satisfatórios.

De acordo com as informações que estão disponíveis na Rock Content, o processo de implantação do CRM pode se dividir em três grandes etapas: planejamento, execução e avaliação. 

1. Planejamento

Esta etapa consiste em fazer uma análise da empresa, definir os objetivos, a equipe e os responsáveis. Em seguida, deve-se escolher a ferramenta de CRM que seja mais adequada para o seu negócio.

2. Execução

Após o planejamento, é chegada a hora da execução da estratégia. Neste ponto, é necessário mapear os processos, com a criação de um fluxograma de atividades. Nele deve-se identificar as áreas envolvidas, os responsáveis, os prazos e os resultados esperados. 

Ainda no processo de execução, é hora de configurar a ferramenta de CRM escolhida, inserindo as informações no sistema e apontando as atividades de cada usuário. Em seguida, treine a equipe que vai utilizar a ferramenta, investindo em uma comunicação eficiente para deixá-los alinhados, engajados e comprometidos com a nova estratégia.

3. Análise

Esta etapa permite identificar se os objetivos foram alcançados e corrigir o que for necessário.

Esse, portanto, é o momento ideal para analisar os KPIs, ou seja, as metas e os indicadores, para saber se o resultado foi o esperado. 

Do mesmo modo, é hora de ajustar a estratégia para eliminar possíveis falhas.

É importante lembrar que, ao implantar um CRM, sempre haverá oportunidades para melhorar as estratégias e os resultados. É um processo constante de monitoramento e ajustes.

Tipos de CRM

Bastou uma pesquisa para descobrir que, em relação aos tipos de CRM, não há uma única resposta. Dessa forma, na intenção de facilitar o entendimento e reunir as informações encontradas, os tipos de CRM foram aqui divididos conforme a forma de armazenamento, a função e as aplicações. Veremos sobre cada um deles.

Foto do site pexels.com

Armazenamento

No que diz respeito a armazenamento, existem dois tipos: CRM na nuvem e CRM local.

O CRM na nuvem, ou CRM Cloud, é online e não requer instalação em um computador ou mesmo uma equipe dedicada para a sua manutenção. É conhecido também como de software como serviço (SaaS), pois toda infraestrutura é gerenciada remotamente pelo time de especialistas da solução.

O CRM local (ou CRM On-Premise), por sua vez, fica em um servidor físico na empresa e requer instalação de software. Exige manutenção, que deve ser realizada por uma equipe de TI própria.

Função

Em relação à função, existe o CRM de marketing e o CRM de vendas.

O CRM de marketing é uma plataforma de automação de marketing. Ele está voltado para os processos de atração e nutrição de potenciais clientes (os chamados leads), apoiando o processo de inbound marketing. 

Já o CRM de vendas é um sistema que ajuda as empresas a vender mais, melhor e em menos tempo. É um software voltado para o processo comercial, levando em conta que o relacionamento com o cliente já tenha começado no marketing e agora está com a equipe comercial. Seu objetivo é, portanto, controlar e gerenciar o fluxo dos leads no pipeline (funil de vendas).

Aplicações

Por fim, ao pensar nas aplicações de um CRM, é possível separá-los em 4 tipos: CRM Operacional, CRM Analítico, CRM Colaborativo e CRM Estratégico.

O CRM Operacional diz respeito a tudo que envolve a captação de informações e dados dos clientes.

Já o CRM Analítico realiza a análise dos dados e das informações dos clientes, identificando características distintas e criando segmentos dos mesmos. Com as informações geradas é possível melhorar as campanhas de geração de leads para que sejam mais assertivas.

O CRM Colaborativo, por sua vez, une as informações do Operacional e do Analítico para que as equipes possam colocar em prática todo o conhecimento obtido em interações e dados prévios do cliente e seu relacionamento com a empresa.

Por fim, temos o CRM Estratégico. Com ele, traça-se os objetivos, focos e metas, dentro do processo de vendas, ou seja, ele permite que as empresas estudem e entendam o mercado, os competidores e o seu próprio negócio.

Conclusão

Tendo em vista que o CRM é uma estratégia de relacionamento com o cliente, pode-se afirmar que ela é necessária para pequenas, médias e grandes empresas, podendo se adequar a cada realidade.

Diante de tudo o que foi exposto neste artigo, entende-se que um CRM bem conduzido é capaz de melhorar as suas finanças, tendo em vista que, com ele, é possível  analisar dados do cliente, antecipar seus desejos, otimizar o processo de vendas, aumentar a produtividade e, por fim, aumentar as vendas.

E então, sua empresa já adota uma estratégia de CRM? Ela está implantada adequadamente e trazendo bons resultados para o seu negócio?

Se sua resposta for “não”, pare de perder tempo e dinheiro! Entre em contato com a Vision Root e resolva logo esse problema!

Designer Gráfico

Autoridade de marca: como construir a sua

A autoridade de marca coloca sua empresa na frente e é fundamental para o seu negócio.

Foto da Coffee Valore

Nesse sentido, você já pensou em tornar a sua marca referência em seu segmento, ter o poder de influenciar pessoas, ganhar reconhecimento, admiração, visibilidade e ainda se destacar perante a concorrência? Então você precisa construir a sua autoridade de marca.

Vivemos na era da transformação digital e a concorrência entre as empresas é grande. Nesse sentido, ter uma posição sólida e de referência faz toda a diferença. 

Quer saber mais sobre esse assunto? Continue conosco!

O que é Autoridade de marca?

Autoridade de marca é um termo utilizado para dizer que uma empresa sabe o que faz e faz bem feito.

Portanto, ter autoridade significa ter o poder de influenciar pessoas, em função do respeito e da credibilidade conquistada.

Em outras palavras, ter autoridade de marca é ser especialista e ter reconhecimento na sua área de atuação ou no seu nicho de mercado. Isso quer dizer que se a sua empresa tem autoridade de marca, ela é uma figura de referência para o setor, transmitindo segurança, respeito e confiança para os clientes.

Autoridade e admiração

Quando uma empresa tem autoridade ela conquista a admiração do público pela sua marca. No entanto, não se consegue essa façanha da noite para o dia, como veremos ao longo deste artigo. 

O especialista

Para ter autoridade de marca é necessário investimento e dedicação para mostrar o quanto sua empresa sabe do que está falando e, então, se tornar especialista em sua área. A produção de conteúdos relevantes é uma excelente estratégia para mostrar sua especialidade, aumentar sua visibilidade e manter a audiência de seus clientes ou potenciais clientes.

Foto do site pexels.com

Credibilidade

Autoridade e credibilidade andam juntas. Afinal, é impossível construir autoridade se uma empresa não tiver credibilidade junto aos seus clientes. 

Reputação e autoridade

Reputação e autoridade de marca são aspectos essenciais para o sucesso de uma empresa. Não se consegue autoridade se não tiver uma boa reputação. 

Isso significa, então,  ter cuidado para lançar uma imagem positiva da marca e, ao mesmo tempo, se proteger contra crises, fake news ou qualquer outro fator que possa abalar a imagem da sua empresa.

Relação de confiança com o cliente

Ter autoridade de marca significa que a sua empresa inspira confiança e é capaz de oferecer as soluções certas para os problemas dos seus clientes. 

Porque ela é importante

A construção de uma autoridade de marca é muito importante para que uma empresa seja capaz de se consolidar em seu nicho.

Dessa forma, quando uma marca se torna referência dentro de uma área específica, seu site, seus produtos e tudo o mais que oferecer são vistos como os melhores.

Vantagem competitiva

Portanto, se tornar uma autoridade é ter vantagem competitiva no mercado. E isso é essencial, tendo em vista que estamos numa era de transformação digital e o mercado está cada vez mais dinâmico e concorrido, não é mesmo?

Quando se tem autoridade, as pessoas param para ouvir o que a empresa tem a dizer e se tornam mais engajadas. A marca passa a ter mais facilidade e eficácia ao se comunicar com seu público.

Sua empresa na frente!

Além disso, quanto maior for a autoridade de uma marca, melhor posicionada ela fica nos mecanismos de busca, alcança maior tráfego direcionado ao seu site e consegue vender mais. Cada vez mais a empresa atrai mais pessoas para o seu negócio, conquista novas parcerias e ganha mais visibilidade.

Como construir uma autoridade de marca

Existem várias ações que podem ser realizadas para que a sua empresa construa uma autoridade de marca. Investir no marketing digital é uma dessas ações. No entanto, é preciso saber que isso não é uma tarefa simples e muito menos rápida. Precisa de trabalho constante, além de planejamento.

Marketing de Conteúdo

Para começar, uma decisão crucial nesse processo é o investimento em Marketing de Conteúdo. Em outras palavras, investir na produção de conteúdo de qualidade, atrativo e relevante para o seu público-alvo.

Foto do site pexels.com

Portanto, se deseja  ter autoridade, mantenha o foco na necessidade e no interesse do cliente. Ofereça um conteúdo que seja capaz de solucionar um problema, sanar uma dor.

E não esqueça de colocar em prática as técnicas de SEO, para otimizar todo o conteúdo produzido e facilitar na hora de gerar tráfego e atrair mais visitantes.

Marketing de autoridade

O marketing de autoridade consiste em estratégias para construir uma boa reputação  para a sua empresa. Ele deve fazer parte do seu planejamento para construir uma autoridade de marca, pois tem como objetivo manter a sua credibilidade em ritmo crescente.

Veja como usar o marketing de autoridade para alavancar a sua empresa, de acordo o SEBRAE:

  • Criando conteúdo autoral de qualidade e que atenda ao seu público;
  • Trabalhando técnicas de SEO para elevar as posições do seu conteúdo em pesquisas relacionadas no Google e demais sites de buscas;
  • Contanto com uma boa estratégia de Relações Públicas para posicionar na imprensa;
  • Buscando ter uma presença digital de qualidade, mantendo os seus canais atualizados e monitorados;
  • Interagindo com o seu público, tanto no caso de dúvidas, quanto diante de elogios ou críticas.

O caminho é longo…

Construir uma autoridade de marca é um caminho longo e árduo. É importante, nesse processo, não focar nas vendas logo de cara e não querer abraçar o mundo, afinal, é impossível se tornar autoridade para todos.

Além disso, procure entender o que o seu consumidor precisa para produzir conteúdos certeiros. 

Nesse mesmo sentido, é preciso saber onde está o consumidor da sua marca e, portanto, questionar se é preciso estar em todas as redes sociais ou focar naquelas onde o seu público-alvo está.

Constância

Outra coisa que deve ser levada em consideração: uma vez iniciado o relacionamento com o seu cliente e realizada a venda, mantenha esse relacionamento próximo, transparente e sempre atento a mudanças.

Além disso, se mantenha fiel aos princípios da marca e cuide para que eles estejam incorporados em todas as ações da empresa e dos colaboradores.

A propósito, atente-se para construir uma identidade visual sólida, original e marcante, pois isso também faz parte da autoridade de marca.

Por fim, seguindo uma linha bem inovadora, sua empresa pode apostar no music branding. Trata-se de criar uma trilha sonora específica que seja capaz de comunicar uma mensagem ou mesmo transmitir alguma sensação para o seu cliente, conectando-o com a sua marca.

Conclusão

A construção de uma autoridade de marca requer dedicação, planejamento e constância. O trabalho é árduo mas os resultados fazem tudo valer a pena.

E aí, me conta: você quer investir para construir uma autoridade de marca mas não sabe por onde começar? Saiba que a Vision Root é a empresa certa para você! Entre em contato e aproveite para conhecer todos os serviços que temos à sua disposição.

Equipe de TI

Consultoria em sistemas de informação e tecnologia: quando contratar?

A consultoria em sistemas de informação e tecnologia tem o objetivo de avaliar o fluxo de informação em uma empresa, bem como a tecnologia utilizada, propondo soluções para os problemas apresentados.

Foto do site pexels.com

Portanto, se a sua empresa está passando por um momento de baixa produtividade ou se você percebe que não tem informações suficientes para tomar decisões assertivas, por exemplo, esse é o momento ideal para contratar um serviço de consultoria em sistemas de informação e tecnologia.

A verdade é que a sua empresa tem potencial para crescer ainda mais e você precisa de ajuda, não é mesmo?

É possível, porém, que você tenha dúvidas sobre o que é um serviço de consultoria nessa área e como, de fato, ela pode te ajudar. Então, saiba que esse artigo é para você.

O que é uma consultoria

A consultoria pode ser definida como ação ou efeito de dar consultas, conselhos. Ela é realizada por especialistas, que oferecem uma visão externa sobre determinada área em uma empresa.

Em outras palavras, o serviço de consultoria é responsável por realizar diagnósticos em áreas específicas, orientando e apresentando soluções para questões relacionadas à estrutura, estratégia, operações e gestão em uma empresa.

Dessa forma, cabe ao consultor de sistemas de informação, identificar as informações necessárias para execução dos processos da empresa. Além disso, o serviço de consultoria também busca identificar e estruturar os dados necessários para obter as informações utilizadas na empresa.

Por fim, depois de obter todas as informações necessárias, o serviço de consultoria vai desenvolver, implantar e viabilizar o projeto, aprimorando o que já vem sendo executado pela empresa e auxiliando na tomada de decisões.

Consultoria em Sistema de Informação

Qualquer empresa que deseja se destacar no mercado precisa de um sistema de informação implantado e funcionando de forma adequada.

Afinal, qualquer falha ou mau funcionamento pode acarretar uma série de resultados enganosos, comprometendo todo o trabalho. Isso porque as decisões gerenciais não serão capazes de refletir os verdadeiros problemas.

Portanto, para evitar que esse tipo de coisa aconteça, é essencial que o sistema de informação seja muito bem pensado e executado.

Como é o SI da sua empresa?

Se você não consegue obter o resultado esperado de um sistema de informação, uma consultoria é ideal para identificar o motivo e reverter essa situação.

Foto do site pexels.com

Dessa forma, será capaz monitorar a sua empresa e agir rapidamente diante de algum problema.

Além disso, um consultor, graças à sua especialidade, é capaz de criar, inovar e propor soluções inteligentes, usuais e práticas envolvendo a tecnologia da informação.

Consultoria em Tecnologia

De mãos dadas com o sistema de informação, a tecnologia é um aliado fundamental para a sustentabilidade das empresas.

Afinal, vivemos na era da transformação digital e não é mais possível ignorar essa realidade sem correr o risco de ficar para trás no mundo dos negócios. Portanto, investir em uma consultoria em tecnologia pode ser um interessante investimento, com bons retornos para a sua empresa.

Um pouco mais sobre tecnologia,  transformação digital e consultoria

Atualmente, as empresas encontram, no mundo digital, maiores possibilidades de expansão, visibilidade e engajamento. 

Em outras palavras, a transformação digital é uma necessidade real para que uma empresa possa se manter no mercado. Conheça mais sobre esse assunto em “Transformação digital – inovar para crescer”, aqui mesmo, em nosso Blog.

Nesse sentido, para se adequar a essa realidade o uso correto da tecnologia é fundamental. Nesse ponto, um consultor pode ser um parceiro indispensável para auxiliar na implementação de soluções personalizadas, a partir de ferramentas inovadoras.

Pode-se afirmar, então, que uma consultoria em tecnologia é capaz de promover mudanças estruturais e de gestão, melhorando o desempenho da sua empresa e fazendo com que ela esteja totalmente inserida na era digital. Em resumo, uma consultoria em tecnologia vai:

  • Manter a empresa atualizada
  • Oferecer know-how de profissionais especializados
  • Otimizar processos e uso dos sistemas
  • Aumentar a segurança da informação

Benefícios de uma consultoria

Para te ajudar a entender melhor o serviço de consultoria e saber se é hora de contratá-la para melhorar o desempenho da sua empresa, vamos falar ainda mais sobre os seus benefícios.

Consultoria para tomar decisões assertivas

Um serviço bem feito de consultoria vai fazer com que o gestor seja capaz de reduzir os gastos da empresa e tornar os procedimentos internos mais eficientes. 

Então, acompanhando esse raciocínio, tais ações serão possíveis porque o consultor vai disponibilizar dados e estudos detalhados, permitindo que a melhor escolha seja feita.

Acompanhamento dos resultados

Além disso, com a consultoria é possível um acompanhamento constante de resultados, com comparação em relação ao mesmo período de anos anteriores. Dessa forma, o empreendedor é capaz de perceber se as estratégias adotadas estão dando certo ou se precisam de alguns ajustes. É possível, também, constatar o crescimento e a evolução do seu negócio.

Inovação

Por terem experiência com outros projetos e trazerem um olhar de fora, os consultores podem contribuir para a inovação em sua empresa.

É quase impossível acreditar, hoje em dia, que as empresas que mais inovam com a ajuda da tecnologia da informação não têm o apoio de um serviço de consultoria.

Auxílio para escolher a melhor solução de automação

O serviço de consultoria, contratado pela sua empresa, vai realizar um estudo acerca das reais necessidades e dar a você as informações necessárias para escolher a melhor solução de automação e integração para o seu negócio.

Acesso a profissionais qualificados e informações atualizadas

Juntamente com o auxílio para tomada de decisões, uma outra vantagem da consultoria é a possibilidade de estar em contato com profissionais qualificados e atualizados com as tendências de mercado. Dessa forma, sua empresa se beneficia ao longo do processo e alcança melhores resultados.

Treinamento e preparo do time

Se a sua necessidade for a adaptação a um novo modelo de sistemas implementado em sua empresa, saiba que uma consultoria é capaz de oferecer o suporte necessário. Assim, sua equipe se adapta mais rapidamente, obtendo o máximo da nova solução e a sua empresa consegue um melhor retorno sobre todo o investimento que foi feito.

A consultoria é para pequenas, médias e grandes empresas

Por existir várias modalidades de trabalho, organizações de qualquer porte podem contratar um serviço de consultoria.

Sendo assim, se precisa de ajuda para crescer, para corrigir processos internos, retomar as vendas, motivação e a produtividade, um consultor em sistemas de informação e tecnologia pode te ajudar a alcançar seus objetivos.

Conclusão

Por fim, quando contratar um serviço de consultoria em sistemas de informação e tecnologia? Quando quiser usufruir de todos os benefícios que uma consultoria pode proporcionar e obter excelentes resultados para a sua empresa!

Agora, se você não sabe onde contratar esse serviço, tenho algo para te dizer: Conheça a Vision Root! Uma empresa com profissionais experientes e prontos para te oferecer um serviço de qualidade.

Não perca mais tempo! Agende uma conversa e solicite um orçamento. 

Desenvolvimento de Sistemas

Desenvolvimento de Sistemas – a solução para a sua empresa

O desenvolvimento de sistemas facilita a tomada de decisão em uma empresa. São atividades que fazem parte da elaboração de uma solução de sistema de informação, buscando resolver um problema ou aproveitar uma oportunidade organizacional.

Foto do site pexels.com

É mesmo surpreendente o que uma boa gestão pode fazer quando está bem informada sobre tudo o que se passa na empresa!

Mas, talvez você esteja se perguntando: será que preciso mesmo dessa solução em meu negócio

Bom, caso você esteja notando que há pouca produtividade, que os relatórios, planilhas e cadastros não estão sendo utilizados como deveria, que há atrasos no serviço, falta de organização e que as vendas estão baixas, é hora de pensar no assunto! 

Até mesmo se a sua empresa já conta com um sistema de informação, vale refletir se ela, de fato, está sendo eficiente…

Para te ajudar, você vai encontrar, neste artigo, o motivo do desenvolvimento de sistemas ser tão importante em uma empresa e porque deve ser bem elaborado.

Para isso, vamos apresentar o que é um sistema de informação, para que serve o desenvolvimento de sistemas e como funciona. Afinal, nada como ficar bem informado, não é mesmo? 

Então, vamos à leitura!

O que é um sistema de informação

Quando se trata de desenvolvimento de sistemas, estamos falando de sistemas de informação. Mas, o que é um sistema de informação?

Inicialmente, vamos apresentar a definição de especialistas da área:

Um sistema de informação pode ser definido como um conjunto de componentes inter-relacionados que coleta (ou recupera), processa, armazena e distribui informações destinadas a apoiar a tomada de decisões, a coordenação e o controle de uma organização. Além de dar suporte à tomada de decisões, à coordenação e ao controle, esses sistemas também auxiliam os gerentes e trabalhadores a analisar problemas, visualizar assuntos complexos e criar novos produtos”. (Laudon & Laudon, 2005)

Em primeiro lugar, já de cara, essa definição nos aponta vantagens do sistema de informação: oferece ajuda para analisar problemas e apoio para tomar decisões. 

Aposto que achou isso bem interessante. E é mesmo!

Em outras palavras, os sistemas de informação contém informações sobre pessoas, locais e coisas significativas para a organização ou para o ambiente que a cerca.

Foto do site pexels.com

Para o desenvolvimento de sistemas de informação é necessário contar com cinco recursos principais:

  • Recursos humanos: especialistas e usuários finais;
  • Hardware: máquinas e mídias;
  • Software: programas (sistemas operacionais, planilhas eletrônicas, processamento de textos, folha de pagamento) e procedimentos (entrada de dados, correção de erros, distribuição de contracheques);
  • Recursos de dados: descrição de produtos, cadastro de clientes, arquivos de funcionários, banco de dados de estoque;
  • Recursos de redes: meios de comunicação, processadores de comunicações, acesso a redes e software de controle.

Além disso, como há diferentes interesses, especialidades e níveis em uma empresa, existem, também, diferentes tipos de sistemas. São eles: sistemas do nível operacional, do nível de conhecimento, do nível gerencial e do nível estratégico.

Agora que você já sabe o que é um sistema de informação, seus recursos e sistemas, vamos entender para que serve um sistema de informação.

Para que serve o desenvolvimento sistemas de informação

Um sistema de informação bem desenvolvido serve para melhorar o fluxo de informação dentro da empresa. Como resultado, você tem uma informação de qualidade, que é aquela informação que chega no tempo certo, na quantidade certa e no custo certo, auxiliando o processo de tomada de decisão, para que sejam mais assertivas.

Um exemplo

Suponha que, na sua empresa, seja necessário realizar a troca ou adquirir um software de gerenciamento. 

Com informação de qualidade, adquirida com o sistema de informação, você analisa o que realmente é necessário conter neste software para, então, adquirir aquele com melhor custo/benefício. 

E não se engane: existe uma infinidade de softwares de gerenciamento no mercado. Portanto, se não tiver as informações claras e corretas sobre o que a sua empresa realmente precisa, você corre risco de adquirir um produto mais caro sem necessidade alguma.

Bom, como foi dito, gastar menos é só um exemplo dos vários benefícios que o desenvolvimento de sistemas de informação pode trazer para a sua empresa.

Entretanto, para que a informações possam ajudar, de fato, na tomada de decisões, controle de operações, análise de problemas e criação de novos produtos, três atividades são necessárias e devem ser muito bem executadas:

  • Entrada, que é a captura ou coleta de dados brutos;
  • Processamento, que converte os dados brutos em uma forma mais significativa;
  • Saída, que transfere as informações processadas às pessoas que as utilizarão ou às atividades em que serão utilizadas. 

Além disso existe, também,  o feedback, que acontece quando a entrada volta a determinados membros da organização para ajudá-los a avaliar ou corrigir o estágio de entrada.

Desenvolvimento de sistemas – soluções personalizadas

O desenvolvimento de sistemas permite que a sua empresa tenha soluções personalizadas para os problemas e oportunidades que se apresentam. Pode ser, por exemplo, um software feito sob medida, um aplicativo para ganhar maior visibilidade, um banco de dados para gerenciar melhor seus relatórios e planilhas ou mesmo uma plataforma para cadastro e acesso de clientes.

Veja os benefícios:

  • Otimização de processos
  • Redução de custos
  • Diminuição nas falhas de comunicação
  • Flexibilidade
  • Melhores resultados

E tem mais: os sistemas de informação podem ajudar as empresas a alcançar locais distantes, oferecer novos produtos e serviços e reorganizar fluxos de tarefas e trabalho.

Na era digital, sua empresa precisa se destacar! 

Todo empresário de sucesso sabe que o desenvolvimento de sistemas de informação é essencial para criar empresas competitivas, gerenciar a partir de informações de qualidade e fornecer serviços e produtos úteis aos clientes.

Foto do site pexels.com

Uma vez entendido para que serve o desenvolvimento de sistemas de informação, vamos ver, de um modo geral, quais são os passos para a sua estruturação ou, melhor, como funciona na prática.

Desenvolvimento de sistemas – como funciona

Para deixar bem claro, projetar um sistema não é algo simples!

Portanto, o analista de sistemas deve entender, exatamente, o que a empresa necessita e deseja, verificar os recursos que precisa para desenvolvê-lo e o valor do investimento a ser feito para o desenvolvimento da tecnologia.

Nesse sentido,  seis passos são necessários para desenvolver um sistema de informação: análise de sistemas, projeto de sistemas, programação, teste, conversão e produção e manutenção.

1- Análise de sistemas

É a análise do problema que a empresa tentará resolver com um sistema de informação. Nessa etapa, é realizada a definição do problema, a identificação de suas causas e a especificação da solução.

2- Projeto de sistemas

Nessa etapa deve-se mostrar como o sistema vai atender as necessidades da empresa. Em outras palavras, é o plano geral ou modelo, com todas as especificações que vão dar forma e estrutura ao sistema. 

3- Programação: 

No terceiro passo, as especificações de sistema, preparadas durante o estágio de projeto, são traduzidas para um código de programação de software.

4- Teste

Logo que a programação fica pronta, são realizados muitos testes para garantir que o sistema está produzindo os resultados corretos.

5- Conversão

A conversão é o processo de passagem do sistema antigo para o novo. 

6- Produção e manutenção

A produção é o funcionamento do sistema, após sua instalação e conclusão do processo de conversão. 

Durante esta etapa, portanto, usuários e técnicos especializados revisam o sistema para saber se os objetivos estão sendo atendidos e se há necessidade de alterações. 

Sendo assim, qualquer mudança em hardware, software, documentação ou procedimentos de um sistema de produção, para corrigir erros, atender novos requisitos ou melhorar a eficiência do processamento é chamada de manutenção.

Conclusão

O desenvolvimento de sistemas é a solução para a sua empresa conseguir otimizar os processos e alcançar maior produtividade. 

Além disso, ele permite utilizar de maneira eficaz as informações geradas nos relatórios, planilhas e cadastros, manter os serviços organizados e sem atrasos e fazer com que seus produtos/serviços estejam disponíveis para o consumidor onde e na hora que ele precisar.

Tudo isso utilizando ferramentas que simplificam todo o processo e auxiliam o gerenciamento. 

Coloque sua empresa na frente! Invista em desenvolvimento de sistemas!

Precisa de ajuda? A Vision Root está preparada para te atender com excelência. Entre em contato, tire suas dúvidas e faça um orçamento. 

Desenvolvimento-de-aplicativo

Aplicativo: minha empresa precisa de um?

Os aplicativos vieram para ficar! Eles oferecem comodidade para os usuários, facilitam a realização de atividades e ainda permitem resolver problemas com mais tranquilidade.

Foto do site pixabay.com

Além disso, eles servem para muitas coisas. Muitas coisas mesmo! Servem para escolher músicas para ouvir enquanto realiza alguma atividade, para fazer compras, cuidar da saúde, fazer figurinhas, jogar, acessar o banco, assistir filmes e séries, monitorar batimentos cardíacos, contar passos, cuidar da alimentação, reconhecer imagens e muito mais!

Tenho certeza que você se lembrou de mais alguma coisa e mais certeza ainda que tem vários aplicativos instalados em seu celular!

Mesmo assim você pode estar se perguntando: Minha empresa precisa de um aplicativo? Será que vale a pena o investimento?

Quer saber as respostas? Então continue a leitura!

Aplicativos e empresas

Um aplicativo pode ajudar a empresa a resolver problemas como: falta de proximidade com o cliente, pouca visibilidade da marca, falta de engajamento, baixa competitividade, vendas abaixo do esperado e, até mesmo, para otimizar as atividades de gestão.

Se sua empresa passa por algum desses problemas, já pode considerar a possibilidade de ter um aplicativo.

O que é um Aplicativo

Um aplicativo, conhecido também como “app”, é um software especialmente desenvolvido para ser instalado em um telefone celular, tablet e até mesmo em uma smartTV. 

Bons aplicativos devem ser fáceis de usar e possuir layout conciso e intuitivo, facilitando a experiência do usuário.

Nesse sentido, por facilitarem uma série de tarefas e centralizarem muitas informações, eles se tornaram muito populares. 

No Brasil, o mercado de aplicativos tem crescido muito. O país ocupa a segunda posição do ranking de países que mais crescem nesse mercado. 

Foto do site pixabay.com

Estudos mostram que cada brasileiro tem, em média, 80 aplicativos instalados em seu celular! E mais: chegam a gastar cerca de 200 minutos por dia neles! 

Além disso, dados do último relatório State of Mobile 2022 da App Annie, disponibilizado no Canal Tech, mostraram que os consumidores gastaram um total de 170 bilhões de dólares em aplicativos no ano passado. Um aumento de 19% em relação a 2020.

Em outras palavras, o Aplicativo é um negócio bem rentável! Gostou de saber disso?

Por fim, existem três tipos de Aplicativos: os nativos, que são desenvolvidos em uma linguagem específica, de acordo com o sistema operacional (iOS ou Android); os Aplicativos react native, que usam a linguagem em JavaScript e são desenvolvidos tanto para iOS quanto para Android; e os aplicativos híbridos, que são desenvolvidos em várias linguagens de programação.

Ter um Aplicativo pode ser útil para a sua empresa

Como já dito logo no início deste artigo, Aplicativos servem para muitas coisas, como pagar contas, conhecer pessoas, aprender novas línguas, fazer transações bancárias, dentre outras possibilidades. E as pessoas têm usado cada vez mais!

Para uma empresa, seja ela grande, média ou pequena, ter um aplicativo próprio pode ser muito vantajoso!

Aumento das vendas

Com ele, é possível aumentar suas vendas, pois oferece comodidade e segurança ao usuário. Com as técnicas corretas, você é capaz de oferecer exatamente o que seu cliente precisa e, com a ajuda de um aplicativo, ele consegue efetuar a compra com facilidade.

Fidelização e engajamento

Outro benefício interessante é que um aplicativo possibilita a fidelização de clientes, porque ele terá em mãos tudo o que precisa para conseguir o que deseja e resolver qualquer problema que venha a surgir, além de tirar suas dúvidas com rapidez.

Isso significa maior engajamento, uma vez que favorece a interação com seus clientes, que podem ser informados a respeito de ofertas como novos produtos, serviços e descontos.

Ao disponibilizar um aplicativo da sua empresa, você pode conhecer o comportamento dos seus clientes e entender melhor os que eles buscam. Assim, você poderá desenvolver estratégias mais assertivas para conquistá-los de vez.

Visibilidade

Outro motivo a ser considerado a respeito de um Aplicativo é que ele favorece a divulgação do seu negócio, tornando a sua marca mais conhecida. Assim, sua empresa ganha visibilidade e sua marca vai se consolidando no ambiente digital.

Produtividade

A automação e a otimização de processos são outras vantagens que um Aplicativo é capaz de proporcionar. Um aplicativo de gestão, por exemplo, é capaz de reunir ferramentas para simplificar, estruturar e unificar suas ações e as de seus funcionários, reduzindo a burocracia interna e agilizando processos.

Portanto, ao adotar um aplicativo e utilizar as estratégias de marketing digital, você ganha competitividade e ainda melhora a produtividade de sua empresa.

Resumindo, obter um aplicativo para a sua empresa vai te ajudar a divulgar produtos e serviços, ganhar e fidelizar clientes, consolidar sua marca, ganhar visibilidade e competitividade.

Do mesmo modo, um aplicativo também pode auxiliar no planejamento, organização e gerenciamento da rotina dos colaboradores, ajudar no controle adequado do estoque, melhorar a comunicação entre os funcionários; facilitar processos e reduzir custos.

Criação de um Aplicativo

Uma vez que você esteja convencido que um aplicativo vai ajudar sua empresa a crescer, chega a vez de criá-lo.

É necessário definir o objetivo, traçar o público alvo, analisar o mercado, definir sua interface e decidir a respeito de qual tecnologia utilizar para desenvolvê-lo.

Foto do site pixabay.com

Já pode imaginar que não é uma tarefa fácil, não é mesmo?

Por isso é importante buscar uma empresa parceira, que tenha expertise no desenvolvimento de aplicativos, para garantir que seu investimento será bem utilizado e seu objetivo será alcançado.

Em seguida, vocês poderão estruturar o aplicativo, a partir de informações sobre a sua empresa, suas necessidades e seu público alvo. É importantíssimo ter em mente para que servirá o aplicativo e quem vai utilizá-lo. Ele deve ser funcional e intuitivo, de fato, gerar comodidade, facilidade e tranquilidade.

Reforçando: para que o seu aplicativo seja capaz de surpreender e ganhar a confiança de seus clientes, é necessário que ele seja atraente, funcional, útil e intuitivo.

Faça quantos testes forem necessários para garantir um aplicativo de qualidade e que funcione corretamente. Mantenha-o atualizado e divulgue-o em todos os lugares possíveis!

Precisa de ajuda para criar um aplicativo de sucesso? Pode contar com a experiência da Vision Root!

Conclusão

Este artigo mostrou que os aplicativos são muito úteis e servem para muitas situações. 

Para uma empresa, ter um aplicativo bem planejado e estruturado é a oportunidade de ganhar e fidelizar clientes, consolidar a marca, ganhar visibilidade e, no caso de um aplicativo para gestão do negócio, alcançar maior produtividade.

Tendo em vista tantos benefícios e levando em consideração que criar um aplicativo demanda tempo e conhecimento, há de concordar que, embora o custo possa ser elevado, o investimento vale a pena. 

Se a dúvida ainda persiste, vale a pena colocar na ponta do lápis todo o gasto que vem tendo com publicidade e busca de novos clientes para aumentar suas vendas, bem como todo o retorno que conseguiu. Será que alcançou seu objetivo? 

Finalmente, se precisar de ajuda para calcular, projetar e planejar estrategicamente suas ações e avaliar se um aplicativo é mesmo um bom negócio para a sua empresa, entre em contato conosco! Será um prazer lhe ajudar!

Landing Page

Landing Page – por que ela é importante para a sua empresa?

Uma Landing Page é uma página criada com o objetivo de transformar visitantes em leads, gerando mais conversões para a sua empresa e aumentando suas oportunidades de vendas.

Portanto, se você sabe do potencial do seu produto ou serviço, mas anda preocupado com o baixo número de vendas e a pouca visibilidade de sua marca, a Landing Page é uma ferramenta que pode te ajudar.

Landing Page
Foto do site pexels.com

Que tal conhecer um pouco mais sobre ela e entender, de uma vez por todas, o quanto ela é importante para a sua empresa? Vamos lá!

O que é Landing Page?

Landing Page é um termo em inglês que significa Página de Destino. E essa correspondência faz sentido no mundo do marketing digital, uma vez que uma Landing Page é uma página criada para atrair visitantes e conduzi-los a um destino: a conversão.

Em outras palavras, ela converte visitantes em leads; leads em leads qualificados; e leads qualificados em clientes.

Mas, o que são leads?

Leads são contatos que você consegue através de ações de marketing, como a criação de um Landing Page, por exemplo. Um lead é alguém que acessou a sua página e demonstrou interesse em seu produto ou serviço, deixando seu nome e alguma forma de contato, como e-mail ou telefone.

Foto do site pexels.com

Então você passa a ter acesso a esse contato e tem a oportunidade de torná-lo um cliente fiel. Parece simples, mas é um grande desafio!

Dessa forma, a Landing Page é uma ferramenta capaz de auxiliar a conquistar mais clientes, por meio de estratégias específicas que serão explicadas neste artigo.

Solução para os visitantes

Uma Landing Page tem o propósito de auxiliar os visitantes a decidirem por um produto ou serviço que seja capaz de ajudar nos desejos, necessidades e dores que enfrenta.

Portanto, para atender a esse visitante, ela tem um foco central, se diferenciando de uma página tradicional: tem poucos elementos e uma chamada para a ação (Call to action). Assim ela evita distrações e garante a conversão desejada.

Resumindo, é uma página vinculada a uma empresa, mas não é uma página do site. Ela se diferencia no objetivo e pode ter um layout bem diferente do site institucional.

Explicando melhor como funciona uma Landing Page

Lembra quando você clicou em algum anúncio na internet e foi direcionado para uma página que te ofereceu algo muito interessante mas você precisou deixar seu nome e contato em troca? Então! Você foi encaminhado para uma Landing Page.

Normalmente, essa Página de Destino tem um formulário que visa uma conversão. Essa conversão pode ser uma venda, um clique, um download, uma assinatura ou um cadastro, por exemplo.

Vantagens

Uma Landing Page apresenta algumas vantagens. Além de gerar leads, ela gera também o leading score que é a classificação desses leads conforme seus interesses. Isso permite ações mais direcionadas e maior possibilidade de fechar negócio.

Uma outra vantagem é a possibilidade de segmentação de leads, de acordo com informações específicas.

Uma Landing Page também tem a vantagem de agregar uma grande quantidade de informações de clientes de forma simples e rápida. 

Por fim, com a Landing Page é possível realizar testes A/B, que consiste em criar páginas com variáveis diferentes e compará-las para ver qual gera melhores resultados.

Modelos de Landing Page dentro do funil de vendas

Já ouviu falar em funil de vendas?

Funil de vendas é um modelo estratégico, separado por estágios, que mostra a jornada de compra de um cliente em potencial. Esta jornada vai desde o primeiro contato, como visitante, passando pelo lead até a venda ser efetivada.

Dessa forma, conforme o objetivo da empresa, a Landing Page é elaborada. Veja alguns exemplos:

Página de captura

A página de captura é um modelo simples de Landing Page, que tem por objetivo capturar dados de contato de um lead,criando uma lista.

No entanto, para dar certo, é importante oferecer algo em troca dessas informações e que seja do interesse do cliente, claro. Como exemplo de opções de ofertas, temos: desconto no produto ou serviço; conteúdo exclusivo; acesso a videoaulas; download de e-book; inscrição em webinário; planilha; contato de um consultor, dentre outros.

Página de confirmação pendente

A página de confirmação pendente tem o objetivo de orientar o usuário a respeito dos passos que precisa dar para concluir o cadastro ou acessar a oferta prometida.

Página de vendas

A página de vendas, por sua vez, tem por objetivo a apresentação de um produto ou serviço, no modelo de oferta. Deve-se apresentar todos os benefícios que envolvem essa oferta, de modo que o usuário fique convencido de que aquele produto ou serviço é capaz de satisfazer seu desejo, necessidade ou resolver o seu problema.

Página de obrigado

A página de obrigado é um tipo de Landing Page que tem por objetivo finalizar uma conversão, gerando empatia e conquistando a confiança do usuário.

Foto do site pexels.com

Além disso, pode-se utilizar essa página para indicar um próximo passo para o lead, como o download de outro material, sugestão de leitura ou mesmo a aquisição de outro produto.

Como deve ser uma Landing Page

A criação de uma Landing Page é feita com auxílio de ferramentas específicas. Elas permitem agilidade no processo de criação, edição, publicação e divulgação das páginas. No entanto, é necessário escolher a ferramenta mais adequada, que atenda alguns requisitos, como permitir campos de proteção de dados, conforme a lei exige; oferecer certificado de segurança para as páginas; ser simples de usar, oferecer integração com outros sistemas e possibilitar a criação de páginas responsivas (que se adaptam a aparelhos diferentes, como computadores e smartphones).

Além de escolher a ferramenta de criação mais adequada, deve-se criar uma Landing Page com as seguintes características:

  • Visual agradável, com layout leve, limpo e somente com os elementos necessários;
  • Objetividade nas descrições, para ajudar no entendimento da oferta;
  • Exclusão de menus que possam distrair o usuário;
  • Facilidade de leitura, com espaço em branco e espaçamento entre imagens, frases e outros elementos;
  • Contraste de cores e elementos visuais pertinentes;
  • Compartilhamento de depoimentos de pessoas que aprovaram o produto ou serviço que está sendo ofertado (prova social);
  • Utilização do recurso call to action ou chamada para a ação, fundamental para conseguir a conversão desejada;
  • Textos (copy) claros, objetivos e bem escritos, para chamar a atenção do usuário para a ação;
  • Uso de imagens adequadas à mensagem. Não use imagens aleatórias ou sem sentido.
  • Utilização de palavras-chave que sejam relevantes e estejam de acordo com o produto ou serviço oferecido;
  • Título e subtítulo que transmitam a proposta de maneira clara e direta.

Monitoramento

Para saber se a sua Landing Page está adequada aos seus propósitos, é necessário acompanhar as métricas geradas. Correspondem a taxa de: rejeição, que mostra os visitantes que permaneceram por pouco tempo e não consumiram seu conteúdo; conversão, que mostra a porcentagem de visitantes que converteram na sua Landing Page; taxa de cliques, que mostra onde houve mais cliques, ou seja, que tipo de informação foi mais buscada na página; taxa de saída, que revela a quantidade de usuários que tiveram alguma interação na página, mas não concluíram a ação;. e, por fim, custo por lead, que permite entender qual o valor de cada lead conquistado.

Cuidados

Para que uma Landing Page atinja seu objetivo de conquistar clientes para a sua empresa, além de todo o trabalho e empenho na construção da página, alguns cuidados devem ser tomados. Dentre eles, pode-se destacar: não usar pop-ups invasivos; cumprir com a promessa feita; jamais deixar o usuário sem saída; não utilizar excesso de conteúdo; divulgar sua página para que ela seja conhecida e acompanhar os resultados, analisando cada campanha e aperfeiçoando os próximos lançamentos.

Conclusão

Você percebeu o quanto uma Landing Page é importante para a sua empresa?

Ela possibilita a conquista de clientes e aumenta as oportunidades de vendas! 

Portanto, vale a pena investir na criação de uma página de destino que traga esses benefícios para a sua empresa, não é mesmo?

Por fim, com tantas informações disponíveis, é possível que você mesmo construa essa página. Porém, dada a sua importância e a complexidade para escolher os elementos e as palavras mais adequadas para compor a Landing Page, talvez você considere contar com a expertise de quem seja capaz de te ajudar a alcançar seu objetivo.

Caso precise de ajuda, a Vision Root está apta para te atender! Entre em contato conosco. Será um prazer ser sua parceira nesta jornada de conversão!